quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Lição 10, O Poder da Evangelização na Família, Ev Henrique, EBD NA TV

Lição 10, O Poder da Evangelização na Família
3º Trimestre de 2016 - Título: O desafio da evangelização — Obedecendo o ide do Senhor JESUS de levar as Boas-Novas a toda criatura
Comentarista: Claudionor de Andrade 
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
AQUI VOCÊ VÊ PONTOS DIFÍCEIS DA LIÇÃO - POLÊMICOS
Ajuda para a Lição 10 - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao12-familia-aImportanciadocultodomestico-.htm
Ajuda para a Lição 10 - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-fcs21-2tr13-anecessidadedocultodomestico.htm
Ajuda para a Lição 10 - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao8-fcs21-2tr13-educacaocrista-responsabilidade.htm
 
 
 
TEXTO ÁUREO
"[...] Crê no Senhor JESUS CRISTO e serás salvo, tu e a tua casa." (At 16.31)
 
 
VERDADE PRÁTICA
A salvação pela fé em JESUS deve ser pregada aos filhos e aos familiares não crentes, tanto por meio de palavras quanto por um testemunho bom, eficaz e amoroso.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - 1Pe 3.1-7 O dever do cônjuge cristão
Terça - Ef 5.22-24 A sujeição da esposa e o amor do esposo
Quarta - 1Co 7.10-16 Instruções ao cônjuge convertido
Quinta - Mc 5.1-20 O liberto anuncia a salvação aos de sua casa
Sexta - Pv 22.6 O dever de instruir os filhos no caminho
Sábado - At 10.24-27,44-48 As Boas-Novas no lar de Cornélio
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Atos 16.25-34
25 - Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a DEUS, e os outros presos os escutavam. 26 - E, de repente, sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. 27 - Acordando o carcereiro e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.  28 - Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. 29 - E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.  30 - E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?  31 - E eles disseram: Crê no Senhor JESUS CRISTO e serás salvo, tu e a tua casa.  32 - E lhe pregaram a palavra do Senhor e a todos os que estavam em sua casa.  33 - E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus. 34 - Então, levando-os a sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em DEUS, alegrou-se com toda a sua casa.
 
OBJETIVO GERAL
Compreender que a salvação pela fé em JESUS deve ser pregada aos filhos e aos familiares não crentes.
 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Conscientizar de que os filhos precisam ser evangelizados.
Saber que o nosso maior desafio é evangelizar nossos cônjuges.
Mostrar que precisamos evangelizar nossos parentes
 
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Professor, procure enfatizar no decorrer da lição que a nossa família deve ser o nosso primeiro e mais importante campo missionário. De que adianta ganhar vidas para CRISTO e ter a família longe do Salvador, sem salvação? Encontramos uma promessa de salvação para nossas famílias em Atos 16.31, porém como crentes temos que fazer a nossa parte: orar em prol da nossa família, jejuar, dar um bom testemunho e anunciar as Boas-Novas.
Incentive os alunos a realizarem o culto doméstico em seus lares. É importante adorar a DEUS em família e orar unidos. Que nossos lares sejam uma extensão de nossas Igrejas. Você professor, tem cuidado com zelo de sua família? Tem sido um evangelista em seu lar? Então você não terá dificuldades para falar a respeito do tema desta lição.
 
PONTO CENTRAL - A família deve ser o nosso primeiro e mais importante campo missionário.
 
Resumo da Lição 10, O Poder da Evangelização na Família
I - EVANGELIZANDO OS FILHOS

1. Por meio do culto doméstico.
2. Através dos símbolos cristãos.
3. Levando-os à igreja.
4. Tendo um viver cristão.
II - EVANGELIZANDO O CÔNJUGE
1. Trazendo a esposa a CRISTO.
2. Trazendo o esposo a CRISTO.
III - EVANGELIZANDO OS PARENTES
1. Em tempos favoráveis.
2.Em tempos de crise.
 
SÍNTESE DO TÓPICO I  - Os pais são os responsáveis pela evangelização dos filhos.
SÍNTESE DO TÓPICO II - O crente precisa obedecer aos princípios morais estabelecidos por DEUS..
SÍNTESE DO TÓPICO III - Evangelize seus parentes não crentes.
 
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
"O ideal do Antigo Testamento é o de uma comunidade comprometida a viver para amar a DEUS e os outros. A família deveria ser o foco da instrução. E o foco da família era o pai e a mãe que louvavam a DEUS e levavam a sério suas palavras (Dt 6.5,6). Mães e filhas trabalhavam juntas no lar, enquanto os filhos trabalhavam com os pais. Os pais tinham muitas oportunidades para imprimir a Palavra de DEUS em seus filhos, explicando as coisas e as escolhas que fizeram como respostas às Palavras de DEUS.
As palavras eram faladas a respeito de DEUS quando 'sentados em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te'. Dessa maneira, a experiência diária era o contexto para se ensinar o significado da Escritura, pois a instrução da Lei de DEUS acontecia na sala de aula da vida. O exemplo de pais comprometidos, a intimidade do amor da família, e a oportunidade de ver como as implicações da Lei de DEUS eram seguidas, construíram juntos o mais poderoso projeto educacional jamais imaginado. Filo, escrevendo no tempo do Novo Testamento, diz que os filhos 'são ensinados a crer em DEUS, o único Pai e Criador do mundo, por assim dizer, desde o berço por seus pais, por seus professores, e por aqueles que os conduzissem, mesmo antes da instrução nas sagradas leis e costumes não escritos'" (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 123).
 
CONHEÇA MAIS
"A liderança do marido (Ef 5.22,23)
Para estarmos seguros de não interpretarmos mal o conceito de liderança no casamento, como direito do marido de prevalecer sobre a esposa, Paulo especifica de que maneira a liderança do marido deve ser revelada. Especificamente, o marido é o cabeça como também CRISTO amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela para que a santificasse (vv. 25,26). A liderança no casamento deixa claro que o papel do marido é semelhante ao de CRISTO, de sustentar e proteger sua esposa encorajando-a em direção ao crescimento pessoal e espiritual." Para conhecer mais, leia Guia do Leitor da Bíblia, CPAD, p. 802.
 
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO
"Pedro ensina como uma esposa deve agir a fim de ganhar para CRISTO o seu marido não salvo. (1) Ela deve ser submissa ao marido e reconhecer a sua liderança na família. (2) Ela deve conduzir-se de modo santo e respeitoso, com espírito manso e quieto. (3) Ela deve esforçar-se para ganhar o marido para CRISTO, mais pelo comportamento, do que por suas palavras" (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 1941).
A Palavra de DEUS também apresenta ensinamentos para os maridos cujas esposas ainda não aceitaram a CRISTO como Salvador. (1) Ame a sua esposa como CRISTO amou a Igreja, ou seja, um amor altruísta e abnegado. (2) Coabite com sua esposa com entendimento, seja sábio em suas palavras e atitudes. (3) Suas ações devem ser coerentes com suas palavras. Viva aquilo que você prega.
 
SUBSÍDIO DIDÁTICO
Professor, mostre aos alunos, utilizando o quadro abaixo, que para uma evangelização eficiente entre os parentes não crentes é necessário:
1. Mostrar de forma clara e concisa quem é JESUS e o que Ele fez para nos salvar.
2. Mostre a necessidade da salvação. Fale que todos pecaram, conte a história da Queda. Leia Romanos 3.23.
3. Diga que JESUS morreu na cruz pelos nossos pecados. A morte e a ressurreição de JESUS é a solução para o homem pecador.
4. Mostre que a salvação é pela fé, mediante a graça de DEUS.
5. Faça o apelo. O apelo deve ser claro e conciso.
 
PARA REFLETIR - A respeito da evangelização na família, responda:
Como os pais podem falar de JESUS aos filhos?

Por meio do culto doméstico, através dos símbolos cristãos e levando-os à igreja.
De que maneira o marido salvo pode conduzir a esposa a converter-se?
Amando-a como CRISTO amou a Igreja e coabitando com entendimento.
O que a esposa salva deve fazer para levar o marido a CRISTO?Sujeitando-se a ele, pelo porte cristão e sem palavras.
De que forma a família cristã pode cumprir a grande comissão?Crendo na promessa bíblica: "Crê no Senhor JESUS CRISTO, e serás salvo, tu e a tua casa". Orando pela salvação de toda a sua família e dando testemunho. Falando de CRISTO aos seus parentes.
Cite exemplos de personagens bíblicos que trouxeram a família a JESUS.Cornélio e o carcereiro de Filipos.
 
CONSULTE a Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 67, p41.
 
SUGESTÃO DE LEITURA - Seja o Líder que sua Família Precisa, Disciplinas da Família Cristã, Os Dez Mandamentos na Criação dos Filhos
 
 
Comentários de vários autores com alguma modificações do Ev. Luiz Henrique
Pontos difíceis e polêmicos discutidos durante a semana em nossos grupos de discussão no WhatsApp (minhas conclusões)
 
Resumo rápido da Lição 10, O Poder da Evangelização na FamíliaI - EVANGELIZANDO OS FILHOS
A. Por meio do culto doméstico.
O  valor do Culto Doméstico
1. Período
Deve ser feito diariamente: durante 10 a 15 minutos apenas;
B. Providências
Providências preliminares: reunir a família e mostrar a necessidade do culto doméstico.
C. Roteiro - pode variar
1) Cânticos de corinhos ou de hinos de que todos gostem;
2) Leitura de pequeno trecho da Bíblia: cada dia, um membro da família ler; ou todos lêem alternadamente os versículos (isso ajuda a participação maior);
3) Um Comentário rápido e significativo pode ser feito, enfatizando os pontos, aplicando-os à vida da família;
4) Pedidos de Oração: cada um pede por seus problemas e pelos outros;
5) Oração: uma só, por um membro da família ou fazem oração um após outro;
D. Obstáculos
1) Desencontros dos horários da família: O pai trabalha em um horário; a mãe trabalha em outro; os filhos saem cedo para a escola; horários desencontrados;
2) Fadiga: o trabalho e os estudos em excesso conspiram contra o culto doméstico;
3) Pouca importância: muitos passam horas e horas diante da TV e do computador, mas não encontram tempo para o culto doméstico.
TUDO ISSO DIFICULTA MAS NÃO DEVE SER USADO COMO DESCULPAS PARA A NÃO REALIZAÇÃO DO CULTO DOMÉSTICO. O Inimigo pode agir nessas coisas.
É PRECISO COLOCAR O CULTO DOMÉSTICO COMO PRIORIDADE NO LAR. SÓ TRAZ BÊNÇÃOS PARA A FAMÍLIA.
Os obstáculos podem ser vencidos com o Poder do Espírito Santo e o esforço de todos , principalmente dos líderes do lar (Pai e mãe). Há tempo para tudo (Ec 3.1); Podemos tudo naquele que nos fortalece (Fp 4.13).
CONCLUSÃO: A adoração a Deus no lar precisa ser valorizada. A avalanche de pecados que são jogados contra os lares, especialmente através da mídia (TV, rádio, literatura pornográfica, etc...) só pode ser derrotada com a família unida em torno do altar da adoração a Deus. É melhor desligar o altar da televisão e acender o ALTAR DA ADORAÇÃO.
PAI E MÃE: não dêem desculpas que agradem ao inimigo. REALIZEM O CULTO DOMÉSTICO COM SEUS FILHOS. Que Deus nos abençoe (Nm 6.24-26).
 
Algumas medidas que creio serem importantes, e por que não dizer urgentes, são:
 
1- Pelo menos um Domingo por mês deve ter um culto direcionado para o assunto família.
2- Todas a s congregações devem criar um departamento de família.
3- Deve ser implantado em todos os lares o Culto Doméstico com a ajuda de grupos treinados para esse fim.
4- Deve ser iniciado um programa de leitura bíblica em todos os lares e departamentos da Igreja. Cada reunião, cada ensaio, cada culto deve ser prioritária a leitura de um capítulo da bíblia.
5- Cada culto de doutrina deve ter pelo menos quinze minutos dedicados ao ensino sobre família.
6- Cada templo sede deve criar um grupo especializado em ensino e pregação sobre o tema “Família, projeto de DEUS”.
7- Deve ser criada uma revista especial para ser usada pelos pais no ensino fundamental das principais doutrinas bíblicas em seus lares, facilitando assim a orientação dos pais para com seus filhos – principais e básicos ensinos para os lares cristãos.
 
Sem consertar a base da sociedade (a família) nunca conseguiremos arrumar o estrago já feito.
 
A EDUCAÇÃO NOS LARES É BEM PERCEBIDA NO NOVO TESTAMENTO
MARIA PROVA TER UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA - Lc 1.46-55 - Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;
Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada, Porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome. E a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem. Com o seu braço agiu valorosamente; Dissipou os soberbos no pensamento de seus corações. Depôs dos tronos os poderosos, E elevou os humildes. Encheu de bens os famintos, E despediu vazios os ricos. Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia; Como falou a nossos pais, Para com Abraão e a sua posteridade, para sempre (Maria provavelmente tinha por volta de 13 anos).
 
JESUS TAMBÉM PROVA UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA - Lc 2.46-47 - E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas (JESUS tinha 12 anos - em tudo era semelhante aos homens, inclusive na educação no lar). 
 
TIMÓTEO TAMBÉM PROVA UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA - 2 Tm 3.14-15 - Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em CRISTO JESUS.
 
2. Através dos símbolos cristãos.
Exemplo; Uma bíblia própria para crianças, um DVD de histórias bíblicas, um CD de músicas que agradam a todos, Um filme para assistirem juntos como "Deus não está morto", um quadro com um versículo bíblico, etc...São marcas que fazem recordar que DEUS está conosco e em nosso lar.
Também lembranças boas são importantes para a união da família. Algo que marcou a família. Algum milagre que DEUS realizou, por exemplo.
 
3. Levando-os à igreja.
A igreja tem o ambiente próprio para conversão. boa música, boa pregação, palvra dada por alguém neutro, que não conhece o familiar, ambiente carregado pela unção de DEUS, inimigos espirituais que tetam desviar da fé as pessoas estão enfraquecidos.
Devemos fazer de tudo para levarmos nossos familiares à igreja. A maneira mais fácil de conseguir isso é quando fazemos alguma coisa inusitada pelo nosso cônjuge ou filhos. Exemplo, lavar a louça para a esposa, deixar o filho usar seu celular, dar uma boa mesada, etc... Isso facilitará o aceite do convite para irem juntos à igreja.
 
4. Tendo um viver cristão.
O local mais difícil de dar bom testemunho é em nossa própria casa. É onde nos vestimos mal, é onde assistimos coisas na TV que não deveríamos, é onde falamos mal dos pastores e dos pregadores, etc..., é onde contamos piadas, é onde Naamã era leproso (na rua e no palácio era o general). cuidado, sua família está d olho em você e se você ensina ou prega o que não vive, isso escandalizará seus familiares.
 
II - EVANGELIZANDO O CÔNJUGE
1. Trazendo a esposa a CRISTO.
Deve haver um esforço para a conversão do cônjuge ou você dormirá com o inimigo literalmente. Uma pessoa que não aceita o evangelho é alguém perigoso para a sociedade em geral. Essa pessoa pode se tornar instrumento de Satanás a qualquer momento. Temos que aprender a dar nossa vida pelos outros e principalmente por nosso cônjuge. Um lar não tem jeito de lar, felicidade de um lar, paz de um lar, enquanto os dois não tiverem se entregado a CRISTO. O marido não deve pregar para a esposa, mas orar e jejuar por ela e pedir para outros pregarem por ela (exemplo, as irmãs do círculo de oração).
O maior desejo da esposa é que seu marido a ame, o problema é que o marido não sabe o que é amor para a mulher. exemplo, o presente de aniversário ou de casamento deve ser algo de romântico e não de funcionalidade ligada ao trabalho dela em casa. um fogão não é um presente, a panela não é um presente. Uma rosa, uma meia aliança, um perfume, algo assim é um presente de quem ama. nunca esqueça a data do aniversário dela e nem o dia em que se casaram. Consultar a opinião da esposa a respeito de alguma decisão a ser tomada pode evitar problemas futuros. O cuidado material da família é obrigação do esposo e não algo de anormal ou de grande valor para a esposa. lembre-se de que as mulheres gostam de conversar, escute sua esposa. Se ela concordar orem junto com ela. ore sempre por ela. Elogie seu sapato, seu vestido, seu penteado, quando na presença de parentes ou de amigos elogie a sua esposa. Invista nela, pois você terminará sua vida do mesmo jeito que começou, só os dois. os filhos, como flechas vão, só ela ficará com você. A mulher de Jó foi a única que ficou de seu lado o tempo todo, mesmo não tendo fé em DEUS, mas não abandonou seu esposo na dor, na doença, na pobreza. DESU a recompensou com filhos melhores, fortuna, marido sarado e conhecedor de DEUS.
Tenha paciência com sua esposa, demonstre seu amor por ela e a importância que ela tem para você. Assim ela terá muita probabilidade de ser também sua irmã, além e esposa.
A esposa é atraída sexualmente pelo que ela ouve de seu esposo. cuide-se tomando um bom banho, escovando bem os dentes, se perfumando antes do sexo. A mulher precisa estar bem relaxada para ter um bom e prazeroso relacionamento sexual. Espere por ela, ela tem dificuldade para "esquentar", precisa de carinho antes do relacionamento propriamente dito. Uma esposa bem resolvida sexualmente será mais fácil de se converter para agradar o esposo.
 
2. Trazendo o esposo a CRISTO.
Esposa, seu esposo não gosta de ser cobrado, não gosta de ser criticado, não gosta de ser acusado. Não pregue para ele. ore muito por ele, peça ao pastor para visitá-lo. peça culto em sua casa. Faça aniversário dele e convide seus melhores amigos e o pastor e alguns irmãos para lerem a bíblia e darem testemunho de milagres de JESUS nas famílias deles.
Esposa, saiba que o maior desejo de seu marido é que você seja mansa, humilde, de pouco gritar ou reclamar, e o mais importante, que lhe seja sujeita, que lhe seja submissa. Já experimentou elogiá-lo? já experimentou elogiá-lo na frente dos irmãos e de seus amigos. exalte sua condição de macho, de provedor do lar. Nunca responda seu marido alterando para cima sua voz. Nunca o enfrente em uma discussão. A esposa sábia aguarda hora certa para pedir alguma coisa para seu esposo. Lembre-se de que ele quando está estressado está pronto para o relacionamento sexual e posterior calmaria. O esposo é atraído pelo olhar e ver sua esposa linda e bem cuidada e cheirosa. Não toque nas partes íntimas de seu marido, pois isso apressará mais ainda sua ereção e a grande prejudicada será você mesma. procure fazer com que vocês dois sintam prazer ao mesmo tempo. Fale com ele o que lhe agrada durante o ato sexual. Um esposo bem resolvido sexualmente será mais fácil de se converter para agradar a esposa. Seja uma mulher de oração. leia a bíblia sempre antes das refeições junto da família.
 
III - EVANGELIZANDO OS PARENTES
1. Em tempos favoráveis.
Aprendemos com Cornélio que os parentes devem participar de nossa conversão e bênçãos de DEUS (Atos 10.24). Aproveite as oportunidades festivas ou reuniões de família para falar do evangelho. Ore na hora das refeições, leia pelo menos dois versículos da bíblia. Seja sempre correto em sua atitudes, seja amoroso, ajude, mesmo com pouco, mas sempre ajude quando seus parentes estiverem em dificuldades. Dê de presente a seus parentes suas roupas, ou algum móvel quando for substituir por um novo. Faça de tudo para conviver com eles em paz. visite-os de vez em quando. Uma visita rápida evita desencontros e adversidades,.
 
2. Em tempos de crise.
Quando surgirem problemas, por exemplo de brigas de casais da família, velório, acidentes, internações hospitalares, ou qualquer situação difícil, aproveite para falar da solução em CRISTO. Leia a bíblia, ore por eles, convide-os a irem à igreja.
 
Conclusão
Na evangelização dos filhos procure fazer sempre o culto doméstico, procure imprimir em suas mentes coisas que DEUS fez por sua família, deixe sempre disponível bíblias, DVD evangélico, CD de músicas evangélicas. Leve seus filhos à EBD e aos cultos. Procure uma igreja onde haja culto de adolescentes e de jovens.
nosso cônjuge deve ser cristão legítimo para que haja paz e união em nossa casa. esposo sua esposa precisa de carinho e amor. Esposa seu marido deseja que você lhe seja submissa. não pregue para ele (a), ore, jejue, peça a alguém para evangelizá-lo(a) junto com você.
nossos parentes devem nos ver como filhos obedientes de DEUS. Alguém com uma vida exemplar. invista no evangelismo de seus parentes.


 
 
Atos 16.25-34
25 - Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a DEUS, e os outros presos os escutavam. 26 - E, de repente, sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. 27 - Acordando o carcereiro e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.  28 - Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. 29 - E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.  30 - E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?  31 - E eles disseram: Crê no Senhor JESUS CRISTO e serás salvo, tu e a tua casa.  32 - E lhe pregaram a palavra do Senhor e a todos os que estavam em sua casa.  33 - E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus. 34 - Então, levando-os a sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em DEUS, alegrou-se com toda a sua casa.
E, perto da meia noite, Paulo e Silas oravam e cantavam (v.25): O diabo novamente sofreu derrota. Quando Satanás e o mundo se juntam para perseguir a alma que descansa em CRISTO, eles a colocam no trono de poder. Paulo e Silas, sentados no escuro, as costas vertendo sangue das feridas dos açoites, os pés apertados no tronco, não somente sofriam intensamente no corpo, mas também com a lembrança de grande injustiça que receberam em remuneração à grande beneficência feita a uma pobre jovem. Enquanto oravam, à meia noite, sobreveio-lhes um êxtase de gozo derramado pelo ESPÍRITO SANTO nos seus corações e romperam em cânticos de louvor ao Senhor. Com os cânticos sobreveio um terremoto e “foram soltas as prisõs de todos”. Quando Paulo foi levado a Roma, como prisioneiro, alugou uma casa e pregou o Reino de DEUS no meio do esplendor do Impéio Romano. Quando preso a segunda vez em Roma, fez a obra mais monumental do que a das suas viagens missionáias. As epítolas que escreveu, enquanto encarcerado, são as mais ricas e as mais maravilhosas de todas. Assim, através dos séculos, quando Satanás quer fazer aliança com a Igreja, esta corre grande perigo. Mas quando ele se esforça abertamente, contra a Igreja, é grande bênção para a Igreja. Os outros presos os escutavam (v.25): Certamente os escutavam. Foi uma coisa inexplicável ouvir cânticos em vez de ouvir gemidos, suspiros, queixas, ameaças e pragas dos prisioneiros. E impossível aos espíritos malignos, ou ao próprio Satanás, romperem a comunhão do crente com Seu Criador. (Vede, por exemplo, cap.7.60). Paulo nunca se referiu a si mesmo como prisioneiro de Roma, ou de Nero, mas sempre de JESUS CRISTO. (Vede E f 3.1; 4.1; 2 Tm 1.8; Fm 1 e 9). Quantas vezes cantamos de tal maneira que os ouvintes querem cochilar. Paulo e Silas, porém, cantaram naquela noite, revestidos de poder que fez estremecer tanto os homens como a terra. Mas Paulo clamou com grande voz (v.28): O apóstolo não disse no seu coração: “Deixe o bruto morrer. Eu não estenderia a minha mão contra ele, mas se ele quer suicidar-se, que se suicide!” O amor de Paulo era verdadeiro, era divino, era fruto do Espíito SANTO que enchia seu coração. Assim bradou no mesmo instante, arrebatando uma alma do fogo eterno.
Que é necessário que eu faça para me salvar? (v.30): O carcereiro, libertado do temor de ser justiçado, achou-se logo tomado de outro temor. O que significava tudo que presenciava? As portas estavam abertas. Os prisioneiros estavam soltos, mas nenhum fugira. Paulo e Silas, livres do tronco, estavam em pé diante dele. Sentiu-se na presença do DEUS Todo Poderoso. Sem dúvida, lembrava-se das palavras da pitonisa: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do DEUS Altísimo.” Lembrado, ao mesmo tempo, do negrume da eternidade que estava para entrar ao tirar sua espada para se matar, esqueceu-se da segurança dos prisioneiros e clamou: “Senhores que é necessáio que eu faça para me salvar?” A pergunta do carcereiro é a mais importante de todas as perguntas que a humanidade jamais proferiu. A resposta apostóica ao carcereiro é a úica resposta certa e satisfatóia:
1) Crê (v.31):
O carcereiro, como a humanidade inteira, enganava- se, pensando que podia fazer alguma coisa para merecer a salvação. Mas a resposta foi que tinha só de crer, de aceitar a obra já feita na cruz.
2) Crê no Senhor JESUS CRISTO (v.31):
Nenhum dos santos anjos podia salvá-lo. Nem havia um dos santos, glorificados e honrados por DEUS, que podia salvar sua alma. Nem foi dirigido a olhar para a fiel e amada serva de DEUS, Maria. A resposta divina foi: Crê no Senhor JESUS CRISTO. Pois, como diz o apóstolo Pedro: “Nenhum outro nome há dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”, Atos 4.12.
3) Eserás salvo (v.31):
Com toda a certeza; as palavras “será salvo” não admitem possibilidades de dúida de receber a salvação. (Compare ljo ão 5.13; 3.14; Rm 8.16; etc.).
4) Tu e a tua casa (v.31):
Note-se como Paulo anelava a salvação de toda a família do carcereiro - e a ganhou! Quantas vezes uma alma é salva, sem o resto dos membros de sua família, somente porque o ganhador de almas se descuida de mencionar esta preciosa promessa.
E lhe pregavam a palavra (v.32): Paulo e Silas, esquecidos dos seus “vergõs” (v.33), de seus corpos doídos e da sua fome (v.34), ensinaram a todos os membros reunidos, da casa do carcereiro, as lições mais essenciais que qualquer conforto do homem físico. O carcereiro foi comovido intimamente, mas a comoção é passageira. Foi necessáio ensiná-los para que a sua salvação se firmasse mesmo em DEUS (Compare 1 Co  2.1-5). A obra não está completa antes de a Palavra de CRISTO habitar no convertido abundantemente, Cl 3.16. Conversão mesmo com muitas lágrimas, não vale coisa alguma se não produzir obras dignas de arrependimento, Atos 26.20. (Compare Mt 28.20).
Naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões (v.33):
Vêem-se nisto a compaixão, o arrependimento e a gratidão deste carcereiro - três sentimentos que lhe eram desconhecidos antes de CRISTO entrar no seu coração. Enquanto Paulo e Silas sofreram atrozmente no tronco, o carcereiro dormira tão profundamente que foi necessário um terremoto para acordá-lo.
Alegrou-se com toda a sua casa (v.34): O gozo dos recém-convertidos, e de todos que não perderam o seu primeiro amor, é inigualável. Jamais houvera uma noite de tão grande alegria, que esta, na casa do carcereiro. Não foi apenas a alegria do carcereiro mas de toda a família. Não havia nenhum membro da família que tocasse uma nota de desarmonia em todo o seu regozijo.
Espada Cortante - Atos: o Evangelho do ESPÍRITO SANTO - Orlando S. Boyer - CPAD
 
Atos 16.25-34
25 - Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a DEUS, e os outros presos os escutavam. 26 - E, de repente, sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. 27 - Acordando o carcereiro e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.  28 - Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. 29 - E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.  30 - E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?  31 - E eles disseram: Crê no Senhor JESUS CRISTO e serás salvo, tu e a tua casa.  32 - E lhe pregaram a palavra do Senhor e a todos os que estavam em sua casa.  33 - E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus. 34 - Então, levando-os a sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em DEUS, alegrou-se com toda a sua casa.
25. Não havia sono para os missionários naquela noite, por causa da dor, e da sua posição desconfortável. No meio do seu sofrimento, no entanto, revelaram a sua confiança em DEUS, bem como a sua alegria nEle, enquanto oravam e cantavam louvores a DEUS. Aqui temos um retrato concreto de “gloriar-se no meio da tribulação” (Rm 5:3; Tg 1:2; 1 Pe 5:6) que é um ideal cristão. As orações proferidas podem ter sido simplesmente de louvor a DEUS; não há qualquer sugestão do que os prisioneiros oravam em prol da sua própria soltura, embora o fato de os demais prisioneiros estarem. ouvindo talvez vise transmitir a lição de que estes então considerariam a libertação milagrosa que se seguiu como resposta das orações que os missionários dirigiram ao DEUS deles.
26. Como resposta à alegre confissão pelos missionários, veio de repente um terremoto que sacudiu o prédio do cárcere, fazendo com que as portas se abrissem, e soltando as cadeias que seguravam os prisioneiros. A fuga logo tornou-se possível, embora presumivelmente as cadeias soltas das paredes ainda estariam nos braços ou nas pernas dos prisioneiros. O fato central desta história, porém, é que os prisioneiros não fizeram tentativa alguma para escapar. O milagre servia para um propósito diferente.
27. A atenção muda-se dos prisioneiros para o carcereiro, a quem o terremoto despertou do sono; vendo as portas abertas, tirou a conclusão de que os presos tivessem fugido, e estava para suicidar-se. As tentativas de providenciar uma explicação racional do seu comportamento talvez sejam vãs. Por que não olhou mais de perto, antes de mais nada, para ver o que acontecera? Embora enfrentasse o risco da pena capital se os prisioneiros escapassem devido à sua negligência, por que teria temido o castigo quando a fuga deles se devia a uma calamidade natural? Este homem, porém, sabia dos poderes sobrenaturais de Paulo e Silas, e ficara fora de si diante do sobrenatural; não sabia o que fazia (cf. Mc 9:6 veja o total terror das mulheres ao lado do túmulo de JESUS, Mc 16:8).
28. A voz de Paulo, bradando dentro da prisão, dizendo que todos os prisioneiros estavam em segurança, interrompeu a ação do carcereiro. Os comentaristas têm perguntado como Paulo sabia que ninguém escapara e que o carcereiro estava para se matar quando, conforme mostra v. 29, o próprio carcereiro precisou de uma luz para ver o que estava acontecendo. Trata-se de um exemplo da introspecção sobrenatural, ou o autor simplesmente não teria pensado nos problemas da narrativa? É tão difícil, porém, entender que Paulo podia escutar o que estava acontecendo em derredor, ou que havia luz suficiente no local para permitir uma visão um pouco inclara daquilo que se passava? Trata-se aqui, como tão freqüentemente ocorre, de uma história condensada, na qual a narrativa se limita aos fatos que têm significância para o propósito do autor, e não se preocupa em fornecer os detalhes que atraem o interesse de um historiador que deseja reconstruir a cena em cada pormenor (quem estava dentro podia ver melhor no escuro do que quem estava fora e entrara como o carcereiro).
29-30. O carcereiro chamou seus assistentes, pedindo tochas, e precipitou-se dentro do cárcere, onde se dirigiu diretamente a Paulo e Silas, aos quais considerou como sendo os responsáveis pelo evento inteiro, tão assustador. A pergunta dele, dirigida a eles, é surpreendente no seu contexto imediato, e somente pode ser entendida à luz da reputação que Paulo e Silas ganharam em Filipos por sua proclamação do “caminho da salvação” (v. 17) e a libertação da pitonisa. A confirmação sobrenatural dos mensageiros, e, portanto, da sua mensagem, levou o carcereiro a dar-lhes a reverência devida a agentes divinos (v. 29) e a procurar a salvação que diziam oferecer. A pergunta dificilmente pode se referir a ser salvo do castigo aplicado por seus superiores por causa daquilo que acontecera na prisão, visto estarem em segurança todos os prisioneiros; não temos aqui um caso de reinterpretação num nível espiritual (compare-se o modo de “água” ser entendida no nível literal e espiritual em Jo 4:10-15, ou como “salvar” pode ser empregado nos Evangelhos para a cura física e espiritual, Lc 7:50; 8:48). Pelo contrário, o carcereiro é forçado pela confirmação sobrenatural da mensagem a reconhecer que deve vir a entender-se com o DEUS proclamado por Paulo e Silas.
31. A resposta dos missionários é a declaração clássica de como alguém pode ser “salvo”, a saber: crendo no Senhor JESUS. Reflete a declaração confissional cristã primitiva: “JESUS é Senhor” (Rm 10:9; 1 Co 12:3; Fp 2:11), mas ressalta especialmente a necessidade da confiança em JESUS e a entrega a Ele como Senhor (cf. 9:42; 11:17). JESUS é Salvador daqueles dos quais Ele é Senhor. Ao mesmo tempo, fica claro que o caminho da salvação que se associa com “o DEUS Altíssimo” (16:17) é mediante a crença em JESUS CRISTO. Não somente isto, mas também a dádiva oferecida ao carcereiro também se oferece à totalidade da sua casa. O Novo Testamento leva a sério a união da família, e quando a salvação se oferece ao chefe de um lar, toma-se logicamente disponível ao restante do grupo familiar (inclusive dependentes e servos) também (cf. 16:15). A oferta, porém, segue as mesmas condições: devem ouvir a Palavrá também (16:32), crer e ser batizados; a fé do próprio carcereiro não dá cobertura a todos eles.
32. Tudo isto, no entanto, exigia explicações mais completas do que se poderia oferecer numa fórmula resumida, então, imediatamente, o carcereiro e a sua família receberam instrução cristã. A urgência do evangelho tomou a primazia sobre as considerações do conforto dos prisioneiros. Podemos notar de passagem que não basta apenas mostrar às pessoas textos e provas do evangelho; normalmente, há necessidade de instrução cuidadosa adaptada à sua situação específica, e de cuidados pessoais e pastorais para a evangelização ter sucesso e efeitos duradouros (1 Ts 2:7-8).
33-34. O efeito da mudança do coração do carcereiro foi visto, em primeiro lugar, no seu cuidado com os misteres físicos dos missionários; fez tudo quanto podia para aliviar os efeitos dos açoites que receberam no dia anterior (cf. Mt 25:36; Hb 10:34). Depois disto, tanto ele quanto a sua família foram batizados sem demora na própria prisão. Nota-se que, embora Paulo e Silas colocaram a pregação do evangelho antes da sua comodidade pessoal, o carcereiro cuidou deles antes de ser batizado. O cuidado que o carcereiro teve com seus prisioneiros foi ressaltado ainda mais quando os levou para a sua casa onde supriu suas necessidades com uma refeição que era, ao mesmo tempo, uma expressão de comunhão cristã e da sua alegria por ' causa da sua conversão e a dos seus familiares. A refeição talvez tenha incluído a celebração da Ceia do Senhor, mas Lucas não nos informa especificamente quanto a isto. Depois disto, segundo se supõe, os missionários deviam voltar ao seu lugar na prisão. Os òutros prisioneiros, do mesmo modo, devem ter sido colocados em cadeias novamente; mas Lucas silencia acerca destes pormenores (embora algum escriba antigo tenha acrescentado um comentário neste sentido no texto ocidental de v. 90).
Atos - Série Cultura Bíblica - I. Howard Marshall - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA e ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA EDITORA MUNDO CRISTÃO,
 
Referências Bibliográficas (outras estão acima)
Dicionário Bíblico Wycliffe. 4.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009.
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
Bíblia de Estudo Almeida. Revista e Atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2006.
Bíblia de Estudo Palavras-Chave Hebraico e Grego. Texto bíblico Almeida Revista e Corrigida.
Bíblia de Estudo Pentecostal. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida, com referências e algumas variantes. Revista e Corrigida, Edição de 1995, Flórida- EUA: CPAD, 1999.
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
www.ebdweb.com.br - www.escoladominical.net - www.gospelbook.net - www.portalebd.org.br/
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/alianca.htm
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD
Manual Bíblico Entendendo a Bíblia, CPAD
Dicionário de Referências Bíblicas, CPAD
Hermenêutica Fácil e descomplicada, CPAD
Revistas antigas - CPAD
Silva, Antonio Gilberto da, 1929- A Prática do evangelismo pessoal / Antonio Gilberto da Silva. - Rio de Janeiro : Casa Publicadora das Assembléias de DEUS, 1983.
Lições Bíblicas - 2000 - 3º Trimestre - Evangelismo e Missões - CPAD - Comentarista - Esequias Soares
ESFORÇA-TE PARA GANHAR ALMAS - Orlando Boyer - Editora Vida - ISBN: 857367153X - Ano: 1975
Espada Cortante - Atos: o Evangelho do ESPÍRITO SANTO - Orlando S. Boyer - CPAD
Espada Cortante - João: o Evangelho do Filho de DEUS Orlando S. Boyer - CPAD
Atos - Série Cultura Bíblica - I. Howard Marshall - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA e ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA EDITORA MUNDO CRISTÃO,
Rua Antonio Carlos Taconni, 75 e 79, Cidade Dutra, São Paulo-SP, CEP 04810
Os dons Ministeriais - Por A. L. Gill - www.gillministries.com
DE CIDADE EM CIDADE - Elementos para uma teologia bíblica de missão Urbana em Lucas-Atos - Descoberta Editora Ltda - Londrina - PR - Jorge Henrique Barro - 2006
Tesouro de Conhecimentos Biblicos / Emilio Conde. - 2* ed. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de DEUS, 1983
Wiesber, Comentário Bíblico. Editora Geográfica, 2008.
Champlin, Comentário Bíblico. Hagnos, 2001.
Concordância Exaustiva do Conhecimento Bíblico "The Treasury of Scripture Knowledge"