quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Vídeos da Lição 7, As Bodas do Cordeiro, 5 partes, 1Tr16, Ev Henrique, EBD NA TV

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Figuras da Lição 6, O Tribunal de CRISTO e os Galardões


































Lição 6, O Tribunal de CRISTO e os Galardões

Lição 6, O Tribunal de CRISTO e os Galardões
1º trimestre de 2016 - O Final de Todas as Coisas - Esperança e Glória Para os Salvos
Comentarista da CPAD: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
AQUI VOCÊ VÊ PONTOS DIFÍCEIS DA LIÇÃO - POLÊMICOS
 
 
TEXTO ÁUREO"Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal." (2 Co 5.10)
 

VERDADE PRÁTICATodos os crentes deverão comparecer diante do Tribunal de CRISTO para que cada um receba a sua recompensa.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Mt 12.37 Seremos justificados ou condenados mediante as nossas palavras
Terça - Rm 8.1 Não há condenação para aqueles que estão em JESUS CRISTO
Quarta - 2 Tm 4.8 O justo Juiz dará a coroa da justiça a todos que amarem a sua vinda
Quinta - Ef 2.10 O crente foi gerado em JESUS CRISTO para realizar as boas obras
Sexta - Mt 5.16 A nossa luz deve resplandecer diante dos homens
Sábado - Ap 22.12 Em breve JESUS virá e dará galardão a todos aqueles que foram fiéis
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 1 Coríntios 3.11-15
11 - Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é JESUS CRISTO. 12 - E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, 13 - a obra de cada um se manifestará; na verdade, o Dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. 14 - Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. 15 - Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.
 
OBJETIVO GERALMostrar que todos os crentes vão comparecer diante do Tribunal de CRISTO para serem recompensados por suas obras.
 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Saber que todos os salvos vão estar perante o Tribunal de CRISTO para serem galardoados;
Explicar como CRISTO vai julgar as nossas obras;
Compreender que chegará o dia em que teremos de prestar contas a JESUS das nossas ações.
 
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Servir a DEUS é um grande privilégio e muitos têm dedicado toda a sua vida ao serviço do Mestre. Na seara do Senhor, enfrentamos lutas, decepções, frustrações, toda a sorte de intempéries, mas vai valer à pena. No grande Dia do Senhor, seremos recompensados com os lauréis e os galardões. A Palavra de DEUS nos mostra que as obras de muitos crentes perecerão quando forem provadas pelo fogo do Senhor. DEUS conhece a intenção dos corações. Podemos enganar aos homens, mas não ao Eterno. Muitos fazem a obra de DEUS buscando a glória para si, logo, já tiveram a sua recompensa. Que possamos realizar a obra de DEUS com alegria, amor, fazendo tudo de coração, para a glória do Pai e não para ser visto pelos homens.
 
PONTO CENTRAL
Nossas obras serão provadas pelo Senhor e se passarem pelo seu crivo, seremos recompensados.

Resumo da Lição 6, O Tribunal de CRISTO e os Galardões
I - O TRIBUNAL DE CRISTO E OS CRENTES
1. O julgamento.
2. Quando se dará?
3. Quem será o juiz?
II - AS OBRAS DO CRENTE E O JULGAMENTO DE CRISTO
1. A precisão do julgamento.
2. Ouro, prata e pedras preciosas.
3. As obras que perecerão. a) Madeira. b) Feno. c) Palha.
III - A PRESTAÇÃO DE CONTAS DO CRENTE E OS GALARDÕES
1. Os pastores darão conta dos seus rebanhos.
2. Crentes darão conta de seus talentos.
 
SÍNTESE DO TÓPICO I - Todos os crentes passarão pelo tribunal de CRISTO.
SÍNTESE DO TÓPICO II - As obras dos crentes serão julgadas pelo Justo Juiz.
SÍNTESE DO TÓPICO III - Os crentes prestarão contas de suas ações e se suas obras passarem pelo crivo do Senhor receberão galardões.
 
CONHEÇA MAIS
*O prêmio do Senhor
"Galardão, prêmio a que fará jus o crente que tiver desempenhado bem a sua função no Reino de DEUS. O apóstolo Paulo adianta que tais honrarias estarão infinitamente além do que sonha ou cogita o espírito humano: 'Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que DEUS preparou para os que o amam' (1 Co 2.9). Além da Nova Jerusalém com todos os seus indivisíveis e inimagináveis encantos, o maior galardão do crente fiel será a presença do Senhor. Esta união, a que a Bíblia cognomina de as bodas do Cordeiro, representa o cumprimento pleno de nossos anseios que, desde a Queda, vêm nos crivando a alma de expectativas. Não pode haver galardão maior do que a presença de DEUS entre seu povo." Leia mais em Dicionário de Profecia Bíblica, CPAD, p.78.
 
PARA REFLETIR - A respeito da Escatologia Bíblica, responda: Todo o crente vai comparecer ante o tribunal de CRISTO?
Todos os crentes terão que comparecer a este tribunal, porém não se trata do Juízo final, que será instaurado para o julgamento dos ímpios (Ap 20.11-15), mas será um tribunal para julgar as obras e os atos dos crentes, recompensando-os, ou não, pelo que fizeram em sua vida.
Qual a condição para ter sido salvo e permanecer salvo?
Estar "em CRISTO JESUS" é a condição indispensável para ter sido salvo e permanecer salvo.
Quando se dará o Tribunal de CRISTO?
Segundo Eurico Bergstén, acontecerá no dia em que JESUS voltar.
Como as intenções do coração serão provadas?
A Palavra de DEUS diz que todas as obras serão provadas pelo fogo. O fogo divino vai purificar e revelar qual a verdadeira intenção do coração.
Segundo a lição, que tipos de obra perecerão?
Madeira, feno e palha.
 
CONSULTE
Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 65, p39.
 
SUGESTÃO DE LEITURA
Seguro nos Braços do Pastor, Teologia Sistemática Pentecostal, Vencendo as Aflições da Vida
 
 
Comentários de vários autores com alguma modificações do Ev. Luiz Henrique
Pontos difíceis e polêmicos discutidos durante a semana em nossos grupos de discussão no WhatsApp (minhas conclusões)
 
"Mas ai das grávidas" (aqui na Terra)
Devemos compreender que haverá um cerco de Jerusalém por parte do anticristo e seus seguidores. Durante este cerco (como foi nos dias de Antíoco Epifânio e nos dias do General Tito) haverá então grande fome e nesse período se repetirá o que já aconteceu antes - as mães comerão seus próprios filhos, pois JESUS disse que essa Grande Tribulação é pior do que todas as outras (Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.
Mateus 24:21). Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo. Lucas 21:23
 
Ezequiel: 5. 9. E por causa de todas as tuas abominações farei sem ti o que nunca fiz, e coisas às quais nunca mais farei semelhantes. 10. portanto os pais comerão a seus filhos no meio de ti, e os filhos comerão a seus pais; e executarei em ti juízos, e todos os que restarem de ti, espalhá-los-ei a todos os ventos.
Lamentações de Jeremias: 2. 20. Vê, ó Senhor, e considera a quem assim tens tratado! Acaso comerão as mulheres o fruto de si mesmas, as crianças que trazem nos braços? ou matar-se-á no santuário do Senhor o sacerdote e o profeta?
2 Reis: 6. 28. Contudo o rei lhe perguntou: Que tens? E disse ela: Esta mulher me disse: Dá cá o teu filho, para que hoje o comamos, e amanhã comeremos o meu filho. 29. cozemos, pois, o meu filho e o comemos; e ao outro dia lhe disse eu: Dá cá o teu filho para que o comamos; e ela escondeu o seu filho.
Durante a grande tribulação vai acontecer no cerco de Jerusalém. -  Ai das grávidas naquele dia.
 
PERGUNTAS INTERESSANTES NO GRUPO DO WHATSAPP:
Primeira pergunta: O que vem a ser galardão? Muitos dizem que é pedrinha na coroa, será?
Segunda pergunta: Se o julgamento acontece assim logo após o arrebatamento, os salvos da grande tribulação não terão nenhum galardão?
Terceira pergunta: O que estará acontecendo com a Igreja enquanto a terra estiver passando pela grande tribulação?
 
Primeira respoosta: COROAS - Galardões?
1) A coroa de glória. “ E, quando aparecer (na sua vinda) O Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória” (1 Pd 5.4).
2) A coroa incorruptível. “ E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível” (1 Co 9.25).
3) A coroa de alegria. “ Portanto, meus amados e mui queridos irmãos, minha alegria e coroa...” (F1 4.1; 1 Ts 2.19,20).
4) A coroa da justiça: “ Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia (diante do tribunal); e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” (2 Tm 4.8).
5) A coroa da vida. “ Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam” (Tg 1.12; Ap 2.10).

Cumpre-se aqui, portanto, o que diz o profeta Isaías acerca de JESUS: “o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras foram sarados” (Is 53.5b). Isto, aponta claramente para o Calvário, onde JESUS suportou por nós “uma coroa de espinhos” (Jo 19.2) para nos dar o direito de sermos participantes de “uma coroa de glória” . Isso é supremo sacrifício!
JESUS, nosso Senhor, morreu com apenas 33 anos de idade! Depois de ter sofrido “uma eternidade de dores!” Seus inimigos aqui na terra o julgaram digno de “uma coroa de espinhos” . No Céu, porém, o quadro se inverte. E Ele está presentemente “coroado de glória!” (Hb 2.9), etc.
 
Segunda resposta - Não terão nenhum galardão os que vierem da Grande Tribulação, estão com palmas nas mãos e não galardões.
Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; Apocalipse 7:9
 
Terceira Resposta - A Igreja estará na Jerusalém celeste, primeiro passando pelo Tribunal de CRISTO e recebendo galardões, depois nas Bodas do Cordeiro (próxima aula).
 
Tenho para mim que o Tribunal de CRISTO será na Nova Jerusalém.
A segunda vinda de JESUS está vinculada a duas fases - arrebatamento e e vinda em glória, com a igreja, no final da Grande Tribulação. - Então JESUS não voltará ao trono da graça neste período de 7 anos - Onde estaremos com ELE neste período?
NOS ENCONTRAREMOS COM ELE NOS ARES, MAS ONDE ESTAREMOS?
Jo 14.2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
A promessa é que só viria depois de preparado o lugar, onde? Na Nova Jerusalém, a celeste. Aqui no arrebatamento durante o tribunal de CRISTO e as bodas do Cordeiro ELE já veio, então já está pronta a morada e o lugar.
A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu DEUS, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu DEUS, e o nome da cidade do meu DEUS, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu DEUS, e também o meu novo nome. Apocalipse 3:12
E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de DEUS descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. Apocalipse 21:2
E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de DEUS descia do céu. Apocalipse 21:10
 
Lc 14.14 - E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos. Fala do arrebatamento e tribunal de CRISTO quando receberemos a recompensa, para quem não sabe o arrebatamento é uma ressurreição, a primeira fase da primeira ressurreição.
 
2 Coríntios, 5.10. Porque todos nós teremos de comparecer diante do tribunal de CRISTO para sermos julgados. Cada um de nós receberá o que merecer pelas coisas boas ou más que tiver feito através deste corpo terreno.
1 Coríntios, 3.11. Porque ninguém pode colocar qualquer outro alicerce além do que já está posto, que é JESUS CRISTO.12. No entanto, existem vários tipos de materiais que podem ser usados para construir sobre esse alicerce. Alguns usam ouro, prata e pedras preciosas; e outros constroem com madeira, com feno e até mesmo com palha! 13. Está prestes a chegar um tempo de prova, no Dia de CRISTO, para verificar que tipo de material cada construtor usou. O trabalho de cada um será provDeus pelo fogo, para que todos possam ver se ele conserva seu valor ou não, e o que verdadeiramente foi realizado. 14. Então, todo construtor que edificou sobre o alicerce com materiais certos, cujo trabalho permanecer, esse receberá a sua recompensa. 15. Entretanto, se o que alguém construiu queimar-se, ele terá um grande prejuízo. Ele mesmo será salvo, mas como um homem fugindo através duma barreira de chamas.
 
Três coisas que DEUS fará : 
1) trará a luz as coisas ocultas 1 Corintios 3.13,
2) revelará os segredos dos homens romanos 2.16
3) recompensará cada um ( 3.11-15; 2 Corintios 5.10 Mateus 16.27 Apocalipse 22.12
 
Coroa de justiça, coroa da vida, cora de glória. 
Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. 2 Timóteo 4:8 --- Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso Senhor JESUS CRISTO em sua vinda? 1 Tessalonicenses 2:19 --- Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. Tiago 1:12
A maioria de tudo o que fazemos vai se perder. veja um político crente - Tudo o que ele faz é para ganhar a eleição - então tudo se queimará.
Pense na surpresa daqueles que estão trabalhando na obra de DEUS por causa de altíssimos salários ou mesmo pelo salário mínimo.
 
Justificados, Glorificados, Vida eterna
“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”(1ª Cor 15 v 58).
E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12
 
 
A Entrega dos Galardões (Escatologia - Doutrina das Últimas Coisas - Severino Pedro da Silva - CPAD)
1. O tribunal de CRISTO
Após o arrebatamento da Igreja por CRISTO, haverá uma “reunião com Ele” num lugar chamado “tribunal” . Paulo fala disso em vários de seus ensinos mas, especifica mente, em três referências exclusivas:
Primeira: ‘ ‘ Mas tu. por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de CRISTO” (Rm 14.10).
Segunda: “ Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem. ou mal” (2 Co 5.10).
Terceira: “ A obra de cada um se manifestará: na verdade O dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo” (1 Co 3.13-15). Existem outras possíveis passagens sobre o Tribunal de CRISTO em o Novo Testamento, mas essas são tomadas para exemplificar o sentido do argumento.
 
a. O que é tribunal? Nos antigos estádios gregos, a assembléia se reunia defronte de uma “plataforma” chamada BÊMA de onde as questões oficiais eram conduzidas.(16)
Esse vocábulo “ bêma” originalmente significava apenas um “ degrau” ; desta idéia passou a indicar uma “ plataforma elevada” , como aquela usada pelos oradores, pelos juizes das competições esportivas, ou mesmo pelos magistrados romanos em seus julgamentos formais. Porém, já o apóstolo Paulo toma o vocábulo “ bêma” para denotar o “ Tribunal de CRISTO” . Essa expressão “ tribunal’ é empregada por onze vezes no Novo Testamento, e nas passagens onde ela figura está sempre ligada a julgamento especial.(17)
1) O tribunal de Pilatos ( l 9). “ E, estando ele (Pilatos) assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele” (Mt 27.19).
2) O tribunal de Herodes. “ E num dia designado, vestindo Herodes as vestes reais, estava assentado no tribunal, e lhes fez uma prática” (At 12.21).
3) O tribunal de Pilatos (2?). “ Ouvindo pois Pilatos este dito, levou JESUS para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litostrotos, e em hebraico Gabatá” (Jo 19.13).
4) O tribunal de Gálio. (I 9). “ Mas, sendo Gálio procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus concordemente contra Paulo, e o levaram ao tribunal, dizendo: Este persuade os homens a servir a DEUS contra a lei” (At 18.12.13).
5) O tribunal de César ( l 9). “ E, não se demorando entre eles mais de dez dias, desceu a Cesaréia; e no dia seguinte assentando-se no tribunal, mandou que trouxessem a Paulo” (At 25.6).
6) O tribunal de Gálio (29). “ E expulsou-os do tribunal. Então todos agarrando Sóstenes, principal da Sinagoga, o feriram...” (At 18.16,17a).
7) O tribunal de César (29). “ Mas Paulo disse: Estou perante o tribunal de César, onde convém que seja julgado: não fiz agravo algum aos judeus,.como tu bem sabes” (At 25.10).
8) O tribunal de Gálio (39). “ Então todos agarraram Sóstenes, principal da Sinagoga, e o feriram diante do tribunal; e a Gálio nada destas coisas o incomodava” (At 18.17).
9) O tribunal de César (39). “ De sorte que, chegando eles aqui juntos, no dia seguinte, sem fazer dilação alguma, assentado no tribunal, mandei que trouxessem o homem” (At 25.17)'.
10) O tribunal de CRISTO “ Porque todos devemos com- parecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo O que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” (2 Co 5.10).
11) O tribunal de DEUS (Edição Revista e Atualizada). “ Tu, porém, por que julgas a teu irmão? e tu, por que desprezas o teu irmão? pois todos compareceremos perante o tribunal de DEUS” (Rm
14.10).
Para uma melhor compreensão do pensamento, o leitor deve observar que as duas referências nos evangelhos indicam o “ tribunal de Pilatos” (Mt 27.19; Jo 19.13); o trecho de Atos 12.21, fala do “ tribunal de Herodes” ; as referências do décimo oitavo capítulo de Atos indicam por três vezes o “ tribunal de Gálio” ; em Atos 25.6,10,17, por três vezes, refere-se ao “ tribunal de César” .
Enquanto que Ro- manos 14.10 e 2 Coríntios 5.10, indicam o “ tribunal de CRISTO e de DEUS” .
b. Nas últimas citações (Rm 14.10 e 2 Co 5.10), Paulo alude ao que acontecerá quando o Redentor congregar os remidos em torno de si, diante do seu tribunal. Haverá ali uma avaliação do que fizemos e não fizemos; mas isso não indica que será um momento de temor, mas de confiança; mais ninguém estará ali presente, a não ser os salvos: ali todos amarão o Redentor e confiarão nele. Os textos e contextos afirmam que, diante do tribunal do Senhor, cada “ um” receberá O louvor ou a censura que merecer. As referências mais explícitas sobre isso são:(18)
Primeiro: Em 2 Coríntios 5.10, onde o que temos “ feito por meio do corpo” será manifestado perante os olhos de todos diante do Tribunal (cf. Hb 4.13, etc...).
Segundo: Em Romanos 14.10, onde nossas relações com nossos irmãos serão examinadas perante o nosso Salvador (cf. Mt 18.10, etc...).
Terceiro: Em 1 Coríntios 3.10-15, onde nosso serviço a DEUS é provado como pelo fogo (cf. Ap 22.12, etc...).

2. Onde será o Tribunal?Existem muitas divergências entre os comentaristas quanto ao local exato do Tribunal de CRISTO. Alguns têm sugerido que será aqui mesmo na terra. O homem pecou aqui (dizem eles); aqui foi salvo; aqui trabalhou - então aqui deve ser avaliado o seu trabalho (cf. Mt 25.19 e ss). Outros, porém, asseguram que esse julgamento deve ter lugar no Céu e confrontam o Tribunal de CRISTO com o julgamento do grande Trono Branco; apenas o dividem por etapas:
1- o Tribunal; 2- o Juízo das Nações e 3- o Grande Trono Branco (cf. Mt 25.32 e ss; 2 Co 5.10; Ap 20.11 e ss).
Porém, é evidente que essa forma de interpretação deve ser rejeitada de todo. Visto que esses três julgamentos obedecem a uma ordem cronológica bem clara: o Tribunal de CRISTO se dará por ocasião do arrebatamento; o juízo das nações vivas, por ocasião do retorno de CRISTO na sua Parousia (sete anos depois do arrebatamento); e o juízo final, mil anos depois. Um outro grupo diz que terá lugar nos ares, mas não especifica o lugar (cf. 1 Ts 4.17; Ap 22.12). As passagens de Mateus 9.15 e Apocalipse 22.12 nos levam a entender que o Tribunal não será “ dentro do Céu” . Razão por que, na primeira citação JESUS declara que os filhos das bodas (que se dará no Céu: Ap 19.7) não podem andar tristes e, em 1 Coríntios 3.15, lemos que diante do Tribunal isso pode acontecer; na segunda, JESUS declara: “ E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo (no original virá comigo), para dar a cada um - no tribunal - segundo a sua obra” .
Ora, se essa recompensa fosse feita no Céu, não seria necessário JESUS trazer consigo este galardão. Na antiguidade, os juizes e anciãos de uma nação costumavam julgar seus súditos e suas causas na “ porta da cidade” (Gn 19.1,9; 1 Sm 4.13,18; 2 Sm 15.2). Boaz, chamando o remi- dor, e mais dez testemunhas da cidade de Belém, julgaram a causa de Rute a moabita na “ porta da cidade” de Belém (Rt 4,1,2). E ali, diante desse tribunal, ela recebeu “ . . . O galardão do Senhor DEUS de Israel” (Rt 2.12).
Muitas coisas nas Escrituras foram escritas “para nosso ensino” (Rm 15.4), pois algumas delas são “ .sombras das coisas celestiais” (Hb 8.5), e outras são “figuras das coisas que estão no céu” (Hb 9.23). Se o nosso pensamento é acertado nesta interpretação, é evidente, embora pouco provável que o Tribunal de CRISTO terá lugar ainda nos ares, especialmente na “ porta formosa do Céu” (cf. Ct 2.4; 1 Ts 4.17 etc...).
a. Diante do Tribunal de CRISTO, serão reprovadas as obras e não o obreiro (1 Co 3.13 e ss), pois todo o seu trabalho que tiver feito “ por meio do corpo” será ali avaliado perante a justiça divina.
Porém,' se fará necessário que a caridade de DEUS esteja ali! A justiça exige que o “bem” seja recompensado e o "mal" punido.(19) Ora, isto não pode realizar-se senão pela sanção (sanção aqui não é condenação) da vida futura; somente esta pode ser rigorosamente justa, uma vez que depende de DEUS, que “ sonda os rins e os corações” . Realmente eficaz, porque ninguém pode escapar-lhe. Nenhum subterfúgio daquele que é culpado (culpado aqui é descuidado).
É necessário uma recompensa baseada na justiça e caridade de DEUS. Esta prova se baseia na justiça de DEUS, que exige que a virtude e O vício (aqui já neste mundo) recebam as sanções que lhes são devidas: recompensa ou punição. Aqui no mundo, as sanções da virtude e do vício são evidentemente insuficientes; muitas vezes mesmo, é O vício que triunfa, e a virtude que fica humilhada. Portanto, é necessária uma recompensa futura através da justiça divina que quer. que cada um seja tratado segundo suas obras, e isso não pode ser feito a não ser com a vida futura.
Mas, se fará necessário, diante do tribunal de CRISTO que a caridade triunfe! E triunfará mesmo! A justiça deve ser temperada pela caridade. É preciso distinguir cuidadosamente a legalidade e a eqüidade (diante do Tribunal de CRISTO isso não é necessário; mas apenas aqui para ser entendido pela mente natural).
b. A prova pelo “ fogo” . No que tange a este fogo, muitas interpretações têm surgido! Mas uma coisa é certa: a onisciência de DEUS ali deve estar presente. Todo nosso trabalho passará “ diante dos olhos” da Trindade Divina (cf. Êx 13.21; At 2.3; Hb 12.29; Ap 1.14; 2.18; 3.2, etc...). A passagem de Apocalipse 4.8 descreve seres viventes como tendo a inteireza da inteligência; são cheios de “ olhos por diante e por detrás” (4.6). Podem tanto ver para a frente como para trás.(20)
O passado e O futuro estão abertos a eles como um livro. Visão interna (olhos por dentro), visão externa (olhos por diante) também lhes pertence. A absoluta visão circundante corresponde a uma infinita visão interior, que expressa a concentração contemplativa, a unidade da onisciência divina. Vigilância! Ora, se estes seres viventes pos- suem tal visão, que diremos nós diante daquele perante quem “ .todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos...?” (Hb 4.13).
Ali, pois, diante da perscrutação desses olhos infinitos que tudo contemplam (Pv 15.3), surgirão duas palavras solenes: “ Aprovados e Reprovados” . “ Este ‘fogo’ diz Speaker,(־') dura apenas ‘um dia’ ; é futuro, não presente; é destrutivo, não purificador; destrói apenas obras, não pessoas; causa perda e não lucro; destrói apenas o que for falso e não o que for verdadeiro; causa apenas reprovação da obra e não do obreiro” (1 Co 3.13-23).
c. A interpretação errônea. Alguns eruditos ensinam que mesmo os mais fiéis precisam dum processo de purificação antes de se tornarem aptos para entrar na imediata presença de DEUS. Também alguns (não são todos) teólogos protestantes que crêem na doutrina de “ uma vez salvo, salvo para sempre” , embora reconhecendo a palavra divina que diz: “ Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” , concluem que o Tribunal de CRISTO seja uma espécie de “ purgatório” onde os crentes carnais imperfeitos se purifiquem da escória. Esse processo, segundo essa maneira de interpretar O Tribunal, dar-se-á ali. Todavia, não existem nas Escrituras evidências para tal doutrina, e existem muitas evidências contrárias a ela.(2)
 

3. A recompensa
“ .cada um recebe... ou bem, ou mal” (2 Co 5.10). Muitos comentadores renomados têm tido dificuldades nesta passagem, quando se defrontam com a palavra “ mal” . Porém, é evidente que, a palavra MAL no presente texto não significa “ pecado” . Diante deste Tribunal não haverá nem pecado nem pecador (cf. Lc 20.35,36).
Quando se invoca o sentido profundo da palavra “ pecado” no original hebraico é “ hattã’th” que traduzida para o grego clássico é “ Hamartia” . Porém, na passagem cita- da, a palavra “ mal” #deve ser depreendida do uso que dela faz o profeta Isaías. O uso de “ RA” em Isaías 45.7, onde se diz que DEUS cria o “ mal” , fica esclarecido o seu uso no tempo e no espaço quando vemos que em mais de 450 vezes que esta palavra se encontra no Antigo Testamento, muito poucas vezes ela se refere a DEUS como a causa da coisa realizada, e também veremos que em cada um desses casos o “ mal” mencionado não indica pecado, e, sim, consiste no castigo justo que DEUS impõe sobre aqueles que pecaram.
Não se diz que DEUS criou o pecado deles, mas se diz que Ele trouxe a calamidade e o castigo sobre eles. Esta correção divinamente imposta foi a palavra “ RA” distintamente declarada como uma experiência do mal vinda de DEUS como penalidade, em contraste com o bem que ele concederia em outra situação.(־ )
a. O apóstolo Paulo retoma isso em seus elementos doutrinários, quando diz: “ Agora folgo, não porque fostes contristados, mas porque fostes contristados para O arrependimento; pois fostes contristados segundo DEUS... Por- que a tristeza segundo DEUS opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende...” (2 Co 7.9,10; Hb 12.11). Acreditamos, pois, que o “mal” (rá) em referência seja apenas uma repreensão da parte do Senhor para aqueles que usaram material ou doutrina “ espúria” na sua obra (1 Co 3.13 e ss; 9.17 e ss). Jó entendeu isso muito bem quando disse para sua esposa: “receberemos o bem de DEUS, e não receberíamos O mal? (rá)” (Jó 2.10).
b. O galardão. A palavra “ galardão” tem nas Escrituras diversos sentidos e métodos de aplicação: Para Abraão, o próprio DEUS era o “ .seu grandíssimo galardão” (Gn 15.1). Rute, a moabita, recebeu “ . . . O galardão do Senhor DEUS de Israel” (Rt 2.12). No estudo em foco, devemos traduzir a palavra “galardão” (misthapodosia) por “ recompensa” (misthos). Este termo nasceu da vida comercial, e originalmente denotava o pagamento feito a um trabalhador, mas desde os tempos helenísticos também se usava em contextos religiosos.(4־) Havia, por outro lado, um outro verbo que expressava O significado do pensamento: “opsõnion”, que era tirado dos círculos militares, e significava as rações do soldado e, depois, O pagamento pelo ser- viço militar e, finalmente, o salário de um oficial do governo. Porém, como o grego é bastante rico nesse sentido, usava-se também outra palavra com sentido mais lato: “ kerdos” ; “ kerdos” trazia a idéia de “lucro” , “ vantagem” , “ ganho” , etc.
Para alguns esse “ galardão” ou “ recompensa” , trata- se de “ coroas” que receberemos da parte do Senhor. Os atletas do passado recebiam após as competições, suas “ coroas de louro” ou “ coroas da vitória” . Como sinal de haverem alcançado o “ prêmio” . Paulo fala disso em 1 Coríntios 9.24 e, depois, faz uma exortação: “ .Correi de tal maneira que o alcanceis” .
c. O argumento de Paulo parte do menor para o maior. Se os homens dão tão elevado valor às honrarias e coroas, que por si mesmas se revestem de tão pouca importância e valor, quanto mais devem os cristãos se esforçar e prezar aquelas coroas espirituais que nunca haverão de perecer, dotadas de valor infinito, que transcendem a tudo quanto é terreno e físico!
Se um homem é capaz de treinar tão diligentemente, de sofrer tantas privações, de agonizar física e mentalmente para um acontecimento que ocupará um único dia, sabendo que a competição será intensa e que as chances de ele sair vencedor não são grandes, quanto mais (diz Paulo) os cristãos devem dispor-se, deixando de lado todos os pra- zeres e ocupações inúteis, a fim de alcançarem a “incorruptível coroa de glória” .
Na posição de corredor, ele corria com um alvo defini- do. Na qualidade de lutador, tinha um oponente. Em outras palavras, ele tinha um alvo, uma vitória a conquistar. Então ele passa agora seu exemplo para seus leitores: “ Se- de meus imitadores, como também eu de CRISTO” .
1) A coroa de glória. “ E, quando aparecer (na sua vinda) O Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória” (1 Pd 5.4).
2) A coroa incorruptível. “ E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível” (1 Co 9.25).
3) A coroa de alegria. “ Portanto, meus amados e mui queridos irmãos, minha alegria e coroa...” (F1 4.1; 1 Ts 2.19,20).
4) A coroa da justiça: “ Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia (diante do tribunal); e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” (2 Tm 4.8).
5) A coroa da vida. “ Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a co- roa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam” (Tg 1.12; Ap 2.10).
Cumpre-se aqui, portanto, o que diz o profeta Isaías acerca de JESUS: “ .o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras foram sarados” (Is 53.5b). Isto, aponta claramente para o Calvário, onde JESUS suportou por nós “ uma coroa de espinhos” (Jo 19.2) para nos dar o direito de sermos participantes de “ uma coroa de glória” . Isso é supremo sacrifício!
JESUS, nosso Senhor, morreu com apenas 33 anos de idade! Depois de ter sofrido “ uma eternidade de dores!” Seus inimigos aqui na terra o julgaram digno de “ uma coroa de espinhos” . No Céu, porém, o quadro se inverte. E Ele está presentemente “ coroado de glória!” (Hb 2.9), etc.

(״) Apoc. V. p. v. S. P. S. 1987
(״ ) O NT. Int. v. p. v. R. N. Champlin, Ph. D. 1982 (״) op. cit. Apoc. v. p. v. 1987
(יי) R J. Cu t s , de Fil. 1984
(") Apoc. v. p. v. S. P. S. 1987
(יי) op. cit, p. S. E. Mc Nair. 1956
(") M. P. Conta. As Dout. da Bíbl. 1977 (” ) Teol. Sist. L. P. C. Vol. I. 1986
(״ ) O NT. Int. v. p. v. R. N. Champlin, Ph, D. 1982
 
Lições Bíblicas CPAD - Jovens e Adultos - 3º Trimestre de 1998 - Título: Escatologia — O estudo das últimas coisas- Comentarista: Elienai Cabral - Lição 8: O Tribunal de CRISTO - Data: 23/08/98
TEXTO ÁUREO 
“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, bem ou mal” (2Co 5.10).
 
VERDADE PRÁTICA 
O tribunal de CRISTO será um trono de concessão de prêmios aos vencedores deste mundo tenebroso.
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 2 Coríntios 5.1-10; Apocalipse 19.9; Mateus 25.10. 
2 Coríntios 5
1 — Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de DEUS um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. 2 — E, por isso, também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu; 3 — se, todavia, estando vestidos, não formos achados nus. 4 — Porque também nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos carregados, não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida.5 — Ora, quem para isso mesmo nos preparou foi DEUS, o qual nos deu também o penhor do ESPÍRITO.6 — Pelo que estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo, vivemos ausentes do Senhor 7 — (Porque andamos por fé e não por vista.). 8 — Mas temos confiança e desejamos, antes, deixar este corpo, para habitar com o Senhor. 9 — Pelo que muito desejamos também ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes. 10 — Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal. 
Apocalipse 19
9 — E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de DEUS. 
Mateus 25
10 — E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.
 
PONTO DE CONTATO 
Cabe ao professor despertar o interesse do aluno para a lição, levando-o ao aprendizado. Não é bom transmitir a lição para uma classe desinteressada e alheia ao estudo. Diante de um assunto tão importante como a escatologia, o professor poderá produzir grande transformação na vida de seus alunos se orar, jejuar, estudar a Bíblia e a lição, preparando-se com técnicas e recursos didáticos, para tornar a aula animada, participativa e com a atenção de todos.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Definir o sentido da palavra tribunal na Bíblia. - Descrever o tribunal de CRISTO. - Enumerar os tipos de recompensas dos justos.
 
ORIENTAÇÃO DIDÁTICA 
Trabalhe a lição conduzindo o aluno à auto-análise, levando em consideração 2 Co 5.10. Para isto, pergunte à classe quais obras, no campo material, moral e espiritual, realizadas com o nosso corpo serão avaliadas por JESUS. Evite generalizações. Peça que sejam específicos e práticos. Exemplo no campo material: atender às pessoas carentes de alimentos. Após citarem algumas obras, questione como serão avaliadas. Como estas poderiam ser aceitas por DEUS, e por que seriam rejeitadas? Usando o exemplo do campo material, pergunte: Serão aceitas por DEUS se realizadas por compaixão? Serão rejeitadas, se feitas com objetivo escuso e egoísta? Mostre a importância da sinceridade na realização das obras. Use como base o versículo supracitado e o item da lição: “O juízo que determinará a qualidade das obras feitas”.
 
COMENTÁRIO - Introdução 
Na seqüência dos eventos escatológicos, dois deles subseqüentes ao arrebatamento da Igreja acontecerão no céu: o tribunal de CRISTO e as bodas do Cordeiro. Os eventos na Terra depois do arrebatamento da Igreja acontecem durante a Grande Tribulação. Nesta lição, trataremos especialmente sobre o tribunal de CRISTO, período de julgamento das obras dos santos arrebatados para a presença de CRISTO.
 
I. O QUE É O TRIBUNAL DE CRISTO?
O apóstolo Paulo descreve em 1Co 3.9-15, o cristão como um construtor que usa vários tipos de materiais numa construção. Assim, no sentido espiritual, o valor do seu trabalho vai depender dos materiais que usará para construir sua obra. Paulo adverte: “cada um veja como edifica” (1Co 3.10). A construção do cristão precisa ser feita sobre um fundamento eficaz e correto, e com materiais de qualidade que dêem sustentação à sua vida espiritual.
Duas palavras distintas na língua original do Novo Testamento esclarecem bem o sentido da palavra tribunal: criterion, conforme está em Tg 2.6 e 1Co 6.2,4; e bimá, encontrada em 2Co 5.10, (também em Ne 8.4). O termo criterion significa “instrumento ou meio para provar ou julgar qualquer coisa”. Ou seja: “a regra pela qual alguém julga”, ou “o lugar onde se faz um juízo”, o tribunal de um juiz ou de juízes. O termo bimá comumente significa uma “plataforma ou um banco de assento onde o juiz julga”. Havia naqueles tempos tribunais militares e, também, o tribunal (bimá ou assento) da recompensa, especialmente utilizado nos jogos gregos de Atenas. Os atletas vencedores eram julgados perante o juiz da arena e galardoados por suas vitórias.
 
II. ASPECTOS GERAIS DO TRIBUNAL DE CRISTO 
1. O tempo. É lógico que o tribunal não pode acontecer logo após a morte de qualquer cristão. Ele se dará por ocasião de um tempo especial e determinado depois do arrebatamento da Igreja.
2. O lugar. Não há texto específico que declare o local, mas o contexto bíblico indica que, uma vez a Igreja arrebatada até as nuvens, nos céus, a instalação do tribunal de CRISTO, inevitavelmente, terá de ser no céu, nas regiões celestiais.
3. Os julgados. Quem será julgado no tribunal? Quais são os sujeitos desse tribunal? Indubitavelmente, as pessoas julgadas nesse tribunal são os santos remidos por CRISTO. O texto de 2Co 5.1-10 fala daqueles que lutam nesta vida para alcançarem o privilégio de serem revestidos de uma habitação espiritual no céu. Não haverá discriminação nesse lugar. Só entrarão os salvos, os remidos. Não haverá lugar nesse tribunal para julgamento condenatório.
4. O juiz. O apóstolo Paulo declara que o exame das obras dos crentes será realizado perante o Filho de DEUS (2Co 5.10). O próprio JESUS falou que todo o juízo é colocado nas mãos do Filho de DEUS. Faz parte da exaltação de CRISTO depois de Sua conquista no Calvário receber do Pai toda a autoridade e poder para julgar.
 
III. COMO PROCEDERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO 
1. A forma do exame. E claro que não se trata de examinar quem será salvo ou não. A salvação do crente implica no ato especial da misericórdia divina mediante a aceitação da obra expiatória de CRISTO e a sua manutenção enquanto ele estiver neste mundo. Todo crente está livre do Juízo se permanecer fiel até o fim (Rm 8.1; Jo 5.24; 1 Jo 4.17). Então, o julgamento não tratará da questão do pecado, de condenação, uma vez que o pecado já foi abolido na vida do crente e, por isso, ele estará no céu.
2. Os materiais da obra de cada crente (1Co 3.12). O apóstolo Paulo mencionou seis diferentes materiais que, figurativamente, representam os elementos que empregamos na construção de nossa vida cristã. Os materiais são indicados como ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha. Os três primeiros são resistentes ao fogo do julgamento de CRISTO. Os três últimos são frágeis e não resistem ao juízo de fogo.
3. A obra de cada um será provada (1Co 3.13-15). O tribunal de CRISTO avaliará os materiais que temos utilizado na construção do edifício da nossa vida cristã. As obras feitas com madeira, feno e palha serão manifestas naquele dia, e o galardão será consoante à avaliação divina. Os materiais de madeira, feno e palha são inflamáveis e perecíveis, por isso, tudo o que for construído com eles não subsistirá.
4. O juízo que determinará a qualidade das obras feitas (2Co 5.10). As obras praticadas pelo crente serão submetidas ao julgamento naquele dia para se determinar se são boas ou más. A palavra “mal” na língua grega aparece comokakos ou poneros, e ambas significam aquilo que é eticamente mal. Porém, a palavra poneros, além de denotar maldade, tem o sentido de se estar praticando alguma coisa de total inutilidade. Portanto, o que Paulo entendia como obras más era a prática de coisas sem utilidade alguma, feitas com materiais espiritualmente imprestáveis.
 
IV. EXAME FINAL NO TRIBUNAL DE CRISTO 
No texto de 1Co 3.14,15 está declarado que haverá dois resultados finais do exame (a prova do fogo) das obras manifestas: o recebimento e a perda da recompensa.
1. Perda da recompensa. Esse fogo nada tem a ver com o fogo do Geena. O fogo do tribunal de CRISTO é figura da luz que revela as impurezas, ou seja, a purificação. Portanto, as obras feitas por impulso carnal e para a ostentação da carne não suportarão o calor do fogo de DEUS, por mais bonitas que sejam, serão desaprovadas.
2. Obtenção da recompensa. As obras praticadas com materiais indestrutíveis na prova do fogo serão dignas da recompensa final. O Novo Testamento apresenta várias recompensas, mas destaca algumas relativas às atividades especiais. O próprio Senhor JESUS, Juiz desse tribunal, é quem fará a entrega dos prêmios, galardões, recompensas (2Co 9.6). Ele declara a João, na ilha de Patmos, dizendo: “O meu galardão está comigo para dar a cada um segundo as suas obras” (Ap 22.12). O apóstolo Paulo declara, também, que todo crente receberá o seu louvor (elogio) da parte de DEUS (1Co 4.5).
3. Tipos de recompensas. O Novo Testamento usa uma linguagem especial dos tempos do primeiro século da era cristã relativa ao tipo de galardão que os vencedores das olimpíadas gregas e romanas recebiam como prêmio. Havia coroas de vários materiais representando o tipo de vitória conquistada por aqueles vencedores (1Co 9.24,25).
a) A coroa da vitória (1Co 9.25). A vida cristã se constitui numa batalha espiritual contra três inimigos terríveis: a carne, o mundo e o Diabo. Esta coroa é denominada, também, como coroa incorruptível, porque se refere à conquista do domínio do crente sobre o velho homem.
b) A coroa de gozo (1Ts 2.19; Fp 4.1). A palavra gozo significa prazer, alegria, satisfação. Uma das atividades cristãs que mais satisfazem o coração do crente é o ganhar almas. Isto é, praticar o evangelismo pessoal e ganhar pessoas para o reino de DEUS. Na busca do gozo nesta vida, nada é comparável ao de salvar almas para CRISTO, livrando-as da perdição eterna. Por isso, quem ganha almas, sábio é (Pv 11.30; Dn 12.3).
c) A coroa da justiça (2Tm 4.7,8). É o prêmio dos fiéis, dos batalhadores da fé, dos combatentes do Senhor, os quais vencendo tudo, esperam a Sua vinda.
d) A coroa da vida (Ap 2.10; Tg 1.12). Não se trata da simples vida que temos aqui. Essa coroa é um prêmio especial porque implica conquista de um tipo de vida superior à vida terrena, ou à simples vida espiritual, como a tem os anjos. É a modalidade de vida conquistada mediante a obra expiatória de CRISTO JESUS — a vida eterna. E o galardão da fidelidade do crente.
e) A coroa de glória (1 Pe 5.2-4). Certos eruditos na Bíblia entendem que esta coroa é o galardão dos ministros fiéis que promoveram o reino de DEUS na Terra, sem esperar recompensa material.
 
CONCLUSÃO 
A lição maior que aprendemos acerca do tribunal de CRISTO consiste em atentarmos diligentemente para a nossa responsabilidade individual como cristãos no que se refere às ações tanto as de caráter social quanto as espirituais praticadas em benefício do reino de DEUS.
 
AUXÍLIOS SUPLEMENTARES 
Subsídio Teológico 
Existem, pelo menos, seis outros julgamentos escatológicos na Bíblia além do tribunal de CRISTO: o julgamento dos pecados no Calvário (Jo 12.31,32); o julgamento pessoal do crente quanto à sua participação no corpo de CRISTO (1Co 11.31,32); o julgamento de Israel (Ez 20.33-44); o julgamento das nações no período da Grande Tribulação (Mt 25.33-46); o julgamento dos anjos caídos (2 Pe 2.4; Jd vv.6,7); e o julgamento do Grande Trono Branco (Ap 20.11-15). A maioria desses julgamentos já aconteceu e, alguns outros estão preditos para acontecer no futuro. São julgamentos que envolvem justiça e juízo.
O tribunal de CRISTO e o tribunal do Grande Trono Branco são os dois principais tribunais de prestação de contas diante dos quais cada pessoa neste mundo deverá comparecer.
Sendo que o tribunal de CRISTO será exclusivamente para os salvos. JESUS falou em Mt 12.36 que “toda palavra ociosa (ou frívola) que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo”. O apóstolo Paulo declarou que todos vão colher o que semearam (Gl 6.7), e, numa palavra especial aos cristãos, Paulo escreveu que os que servirem bem ao Senhor receberão a recompensa da sua herança (Cl 3.24,25).
 
Subsídio Doutrinário 
Quando a Bíblia diz que “todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO”, está, de fato, declarando que o ato de comparecer significa ser colocado à luz da justiça de CRISTO. A idéia sugerida é a de phanerosis (no grego), que quer dizer “manifestação”. O propósito do tribunal é o de manifestar as obras praticadas pelo cristão e colocá-las à prova do fogo para que se identifique os materiais mediante os quais praticamos nossas obras. O caráter do julgamento é individual. Não se trata de um julgamento em massa, em classes, mas um por um (1Co 3.13).
A doutrina do Purgatório ensina que as pessoas, depois da morte, vão para o Purgatório para purgarem seus pecados e obras nesta vida. Essa purgação aconteceria através do fogo. Entretanto, esta é uma doutrina espúria e falsa. A figura do fogo no tribunal de CRISTO nada tem a ver com purgatório, e o seu papel é o de expor as impurezas, e não o de possibilitar a salvação de ninguém. Não há qualquer relação do tribunal de CRISTO com o Purgatório.
  
Subsídio Devocional 
Muitos cristãos que vivem uma vida cristã descuidada, além de correrem o risco de perderem a salvação, caso sejam salvos, não receberão recompensa no tribunal de CRISTO. A perda de recompensa naquele dia por muitos dos salvos não significa castigo. Uma reflexão constante disso hoje, faz-nos primar pela qualidade do trabalho cristão que fazemos para DEUS.
Em 1Co 9.27, Paulo se preocupa e teme em depender da força da carne em vez de depender da força do ESPÍRITO, por isso, diz: “Antes subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”.
Ao usar a palavra “reprovado” (adokimos), Paulo não está temendo perder a sua salvação, mas está preocupado se o seu trabalho no dia das contas não for aprovado. Neste contexto, a Bíblia diz o seguinte: “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia, como pelo fogo” (1Co 3.15).
Paulo tinha a convicção de que a “coroa da justiça” lhe estava garantida, porque se não tivesse feito qualquer outra obra que merecesse um galardão maior, ela lhe seria conferida por sua retidão no ministério outorgado pelo Senhor. Pensar dessa forma não significa que havia no coração do apóstolo qualquer resquício de presunção.
Lições Bíblicas CPAD - Jovens e Adultos - 3º Trimestre de 1998 - Título: Escatologia — O estudo das últimas coisas- Comentarista: Elienai Cabral - Lição 8: O Tribunal de CRISTO - Data: 23/08/98
 
SUGESTÃO DE LEITURA
Daniel e o Apocalipse, Dicionário de Referências Bíblicas e Respostas às Perguntas que os Católicos Costumam Fazer
 
SUGESTÃO DE LEITURA (CPAD)
Apocalipse Versículo por Versículo, Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica e Dicionário de Profecia Bíblica.
 
O JULGAMENTO DO CRENTE - BEP - CPAD - (tribunal de Cristo)
2Co 5.10 “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do
corpo, ou bem ou mal.”
A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas “ante o tribunal de Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou maus. No tocante a esse julgamento do crente,
segue-se o estudo de alguns de seus pontos.
(1) Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção (Rm 14.10,12; 1Co 3.12-15; 2Co 5.10; ver Ec 12.14 nota).
(2) Esse julgamento ocorrerá quando Cristo vier buscar a sua igreja (ver Jo 14.3 nota; cf. 1Ts 4.14-17).
(3) O juiz desse julgamento é Cristo (Jo 5.22, cf. “todo o juízo”; 2Tm 4.8, cf. “Juiz”).
(4) A Bíblia fala do julgamento do crente como algo sério e solene, mormente porque inclui para este a possibilidade de dano ou perda (1Co 3.15; cf. 2 Jo 8); de ficar envergonhado diante dEle “na sua vinda”
(1Jo 2.28), e de queimar-se o trabalho de toda sua vida 1Co 3.13-15). Esse julgamento, não é para sua salvação, ou condenação. É um julgamento de obras.
(5) Tudo será conhecido. A palavra “comparecer” (gr. phaneroo, 5.10) significa “tornar conhecido aberta ou publicamente”. Deus examinará e revelará abertamente, na sua exata realidade, (a) nossos atos
secretos (Mc 4.22; Rm 2.16), (b) nosso caráter (Rm 2.5-11), (c) nossas palavras (Mt 12.36,37), (d) nossas boas obras (Ef 6.8), (e) nossas atitudes (Mt 5.22), (f) nossos motivos (1Co 4.5), (g) nossa falta de
amor (Cl 3.23—4.1) e (h) nosso trabalho e ministério (1Co 3.13).
(6) Em suma, o crente terá que prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus (Mt 25.21-23; 1Co 4.2-5) e das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a oportunidade e o conhecimento que
recebeu (Lc 12.48; Jo 5.24; Rm 8.1).
(7) As más ações do crente, quando ele se arrepende, são perdoadas no que diz respeito ao castigo eterno (Rm 8.1), mas são levadas em conta quanto à sua recompensa: “Mas quem fizer agravo receberá o
agravo que fizer” (Cl 3.25; cf. Ec 12.14; 1Co 3.15; 2Co 5.10). As boas ações e o amor do crente são lembrados por Deus e por Ele recompensados (Hb 6.10): “cada um receberá do Senhor todo o bem que
fizer” (Ef 6.8).
(8) Os resultados específicos do julgamento do crente serão vários, como obtenção ou a perda de alegria (1Jo 2.28), aprovação divina (Mt 25.21), tarefas e autoridade (Mt 25.14-30), posição (Mt 5.19;
19.30), recompensa (1Co 3.12-14; Fp 3.14; 2Tm 4.8) e honra (Rm 2.10; cf. 1Pe 1.7).
(9) A perspectiva de um iminente julgamento do crente deve aperfeiçoar neste o temor do Senhor (5.11; Fp 2.12; 1Pe 1.17), e levá-lo a ser sóbrio, a vigiar e a orar (1Pe 4.5, 7), a viver em santa conduta e
piedade (2Pe 3.11) e a demonstrar misericórdia e bondade a todos (Mt 5.7; cf. 2Tm 1.16-18).

 
Referências Bibliográficas (outras estão acima)
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
Bíblia de Estudo Almeida. Revista e Atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2006.
Bíblia de Estudo Palavras-Chave Hebraico e Grego. Texto bíblico Almeida Revista e Corrigida.
Bíblia de Estudo Pentecostal. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida, com referências e algumas variantes. Revista e Corrigida, Edição de 1995, Flórida- EUA: CPAD, 1999.
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Mateus - Série Cultura Bíblica - R.V.G Tasker
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
www.ebdweb.com.br - www.escoladominical.net - www.gospelbook.net - www.portalebd.org.br/
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/alianca.htm
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD
Dicionário Bíblico Wycliffe - Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, John Rea - CPAD
Lições Bíblicas CPAD - Jovens e Adultos - 3º Trimestre de 1998 - Título: Escatologia — O estudo das últimas coisas- Comentarista: Elienai Cabral - Lição 8: O Tribunal de CRISTO - Data: 23/08/98
Escatologia - Doutrina das Últimas Coisas - Severino Pedro da Silva